17.10.12

Texto: Sarah & John


- Quero te ver hoje...
       Sarah estava deitada em sua cama, com os raios do sol entrando nas falhas da janela, tornando o quarto o lugar mais relaxante em que poderia estar. O clima poderia fazê-la refletir sobre a vida, talvez pensar sobre o futuro mas, os pensamentos dela era apenas John.
       John parecia o homem perfeito. Ao menos naquele momento. Ele não tinha 1.80m, nem um corpo sarado. Mas, no fundo ela sabia que não era isso que buscava em um homem. Ela procurava alguém com cabelos negros, pele clara e macia, com um sorriso lindo, olhar encantador, inteligente e divertido. Isso definia John.
       Sarah era encantada por ele, e encantava-se mais a cada dia por seus detalhes. John era diferente de todos que já havia conhecido. Mesmo sem saber explicar o por quê ou o que era diferente, ela sorria só de pensar no nome dele. Só havia um "defeito", no qual a incomodava muito: John era casado. Claro que isso não impedira que os dois se desejassem. John queria sentir o corpo dela colar no dele, e ela não conseguia tirá-lo da cabeça.
       Naquela noite, Sarah se entregou. Deixou o corpo responder por suas atitudes, ignorou crenças, ética, não querendo saber o que era certo ou errado foi encontrar John. Uma noite fria, chuva, trânsito, ansiedade, nervoso e atraso. Ela pôs os pés no chão e percebeu o quanto estava sendo insana a sua atitude. Se arrependeu, quis voltar pra casa, perguntou-se o que estava fazendo ali sentada, esperando-o. Todas essa perguntas e pertubações se apagaram de sua mente quando ele apareceu. O coração de Sarah disparou... era a hora!
         Saindo dali, John a levou no local "combinado". Um Hotel nada movimentado, numa cidade fria, onde só se ouvia barulho de carros, motos buzinando, ela e John. Voltaram os pensamentos com perguntas de insegurança. Sarah novamente quis ir embora, mas lá estava ela, dentro do Hotel. Os dois ficaram a sós no quarto, e lá se amaram por um momento. Trocaram caricias, risos e canções. O momento foi mágico.
       Ao sair de lá, nada fazia sentido. O encanto havia acabado e John, o perfeito John, se tornou apenas mais um. Ela queria estar em casa, mais do que todas as outras vezes em que desejou. Queria estar longe dele. Deveria estar na aula e não ali! Voltou para casa, ao lado dele. Praguejou a atitude não pensada, arrependeu-se e perguntou a ela mesma, por que o John? Ele não era diferente dos outros. Por que? Ao chegar em casa, ele não enviou torpedo como de costume, e ela, dessa vez não sentiu falta. Ela luta para esquecer o que aconteceu, e por vezes, consegue.
       Após dois dias, o celular de Sarah toca, era John com seu torpedo (talvez atrasado). Ela foi fria, não notou o modo que ele usava bem as palavras, o quanto ele era inteligente... Não dessa vez. Logo o assunto chegou ao fim e John ao se despedir na mensagem, disse "... Espero que tenha curtido o quanto eu curti. Você é uma garota bacana.". Ninguém antes havia elogiado Sarah. Não que ela lembrasse... Não chamando-a de "garota bacana"! Sarah sorriu, lembrou porque escolheu John, lembrou o quanto ele era perfeito pra ela, e novamente praguejou por um dia ter esquecido disso.


G. Ramos

0 comentários:

Postar um comentário

Sua opinião é muito importante! Comente e receba uma visita no seu blog, também ♥

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...